Assédio mental e verbal no local de trabalho

O assédio verbal no trabalho varia de piadas racistas a ameaças de "durma comigo ou será demitido". O assédio mental não é um termo legal, mas o assédio verbal ou físico pode ter um grande impacto mental, deixando o alvo intimidado ou incapaz de trabalhar.

Termos legais para assédio

O comportamento que você pode pensar que é obviamente assédio - críticas depreciativas, intimidação, insultos - pode não atender à definição legal. O assédio verbal inclui essas coisas, mas apenas se forem baseadas na "característica protegida" do alvo. Um chefe que critica a todos injustamente não é, do ponto de vista jurídico, um assediador. Se um supervisor ou colega de trabalho destacar trabalhadores que sejam, digamos, negros, mulheres ou imigrantes, então é uma questão legal.

O assédio é indesejado e contínuo

O assédio também deve ser ofensivo e indesejável, por exemplo, comentários racistas ou piadas homofóbicas. Exceto em casos extremos, um incidente não é suficiente. O assédio deve ser contínuo, severo e generalizado o suficiente para que uma pessoa razoável considere o ambiente de trabalho hostil, intimidador ou abusivo. Isso pode incluir não apenas insultos e críticas, mas também piadas práticas; mostrando fotos de uma mulher nua; ou forçar um funcionário a realizar tarefas particularmente grosseiras ou humilhantes.

Dica

O assédio que ofende ou causa angústia mental a alguém que não seja o alvo do assediador também é ilegal.

O papel do empregador

Se um funcionário relata assédio ao chefe, ao chefe do chefe ou ao departamento de RH, a empresa deve levar isso a sério. O empregador que sabe do assédio e não faz nada se responsabiliza por uma ação judicial. Tomar medidas para evitar mais assédio protege a empresa.

Relatório é uma etapa necessária

Mesmo no século 21, muitas empresas parecem não entender isso. Funcionários de muitas empresas falaram sobre como denunciaram o assédio e a empresa não fez nada ou ameaçou demitir o acusador. O movimento #metoo destacou uma onda de denúncias de assédio sexual, incluindo detalhes de como a empresa protegeu o assediador. Mesmo quando as pessoas dentro de uma empresa sabem que as acusações são verdadeiras, elas podem preferir fechar os olhos para elas.

Denunciar o assédio a um empregador é apenas o primeiro passo e pode não gerar resultados. Ainda é uma etapa necessária. A vítima deve denunciar e o empregador deve deixar de agir antes que a vítima possa iniciar qualquer ação legal.

Mudança de Atitudes no Local de Trabalho

Pesquisas feitas depois que o magnata do cinema Harvey Weinstein e outras figuras proeminentes foram revelados, já que os agressores indicam que a visão dos americanos sobre o assédio sexual mudou. Uma pesquisa Gallup realizada no final da década de 1990 revelou que a maioria dos americanos achava que os funcionários eram muito sensíveis ao assédio sexual.

No final de 2017, a maioria acreditava que os locais de trabalho não eram sensíveis o suficiente. Um grande número de mulheres disse que estaria disposto a processar se forem assediadas. O tempo dirá que efeito as mudanças de atitude têm no ambiente de trabalho e na disposição das empresas de lidar com o assédio verbal.