Os funcionários isentos podem ser obrigados a fazer horas extras?

A lei federal diz que os funcionários que trabalham mais de 40 horas por semana têm direito a uma hora e meia de pagamento pelas horas extras. Alguns assalariados, porém, estão isentos da regra. Se trabalharem 50 horas por semana, os funcionários isentos recebem o mesmo salário que se trabalhassem 30.

Dica

Normalmente, é legal para um empregador exigir que os funcionários isentos trabalhem mais de 40 horas.

Quem está isento?

Os funcionários isentos são pagos com base no salário. Eles ganham uma determinada quantia todas as semanas, independentemente de quantas horas trabalham ou da quantidade de trabalho que concluem. Atualmente, os funcionários isentos precisam ganhar um salário de pelo menos US $ 455 por semana. As isenções são apenas uma opção para certos tipos de funcionários. Administradores, executivos e profissionais, como cientistas, podem ser isentos, mas não garçons ou zeladores.

Aviso

O governo federal pode estar revisando suas leis de isenção. Consulte o site do Departamento do Trabalho para se manter atualizado sobre quaisquer atualizações ou alterações propostas.

Sem pagamento por horas extras

Trabalhar por um salário fixo pode ser um grande negócio que dá flexibilidade aos funcionários. Quando a carga de trabalho é pesada, eles fazem horas extras, e quando a carga de trabalho é leve, eles voltam para casa mais cedo. Os funcionários não precisam se preocupar em trabalhar horas suficientes todas as semanas para manter a comida em suas mesas.

Alguns empregadores não veem dessa forma. Fazer com que os empregados assalariados trabalhem 40 horas e alguns podem se tornar a norma, não a exceção. Se um funcionário isento trabalhar até meia-noite para resolver uma crise, o empregador ainda pode esperar que ele apareça na manhã seguinte e trabalhe um dia inteiro. Desde que o pessoal seja assalariado, não há nada na lei federal que impeça isso.

Um empregador pode legalmente pagar horas extras aos funcionários isentos. O pagamento pode ser um bônus, uma quantia fixa, tempo e meio ou tempo extra de folga. A lei federal, entretanto, não exige que os empregadores ofereçam essa compensação extra.

Cuidado com a classificação falsa

O empregador não pode chamar o caminhoneiro de executivo assalariado, isentá-lo de horas extras e exigir 60 horas semanais. A lei federal é muito clara ao afirmar que um funcionário deve estar fazendo o tipo certo de trabalho para obter a isenção. Um executivo, por exemplo, deve gerenciar a empresa ou um departamento reconhecido, bem como supervisionar o trabalho de pelo menos dois funcionários em tempo integral. O executivo deve ter poder de contratação e demissão, ou ter muito a dizer sobre essas decisões.

Um funcionário que acha que foi mal classificado deve falar com o departamento de recursos humanos. Se o RH não ajudar, o funcionário pode entrar em contato com o Departamento do Trabalho de seu estado ou um advogado.

Observe as proteções adicionais

A lei federal não é o único jogo na cidade. Ele apenas define um padrão mínimo para o pagamento de horas extras. Se a lei estadual ou local, ou outros regulamentos federais exigirem um negócio melhor para os funcionários, as regras mais generosas se aplicam. Sindicatos ou mesmo funcionários individuais também podem tentar negociar uma política melhor de horas extras.