As quatro funções das comunicações de massa

As teorias das comunicações de massa da década de 1940 ainda são importantes?

Como nos comunicamos por meio das tecnologias modernas de hoje pode ser mais importante do que nunca, mas as velhas teorias de comunicação de massa ainda se aplicam? As quatro funções das comunicações de massa são: vigilância, correlação, transmissão cultural e entretenimento. De muitas maneiras, as quatro funções da comunicação de massa ainda são relevantes e transferíveis para a mídia contemporânea.

Vigilância do Meio Ambiente

A comunicação de massa existe para observar e informar. A mídia de massa mantém os cidadãos informados sobre notícias e eventos. Em tempos de crise, os anúncios da mídia de massa oferecem avisos e instruções.

Por exemplo, quando ocorrem desastres naturais, como furacões, nevascas e tsunamis, os meios de comunicação tradicionais e sociais são as principais ferramentas de comunicação para transmitir informações sobre o caminho de uma tempestade iminente ou informar as pessoas sobre o fechamento de escolas e empresas, e como procurar abrigos e encontrar rotas de evacuação. A mídia também é usada como ferramenta de autoridades governamentais para proteger os cidadãos com atualizações importantes.

A Função de Correlação

Antigamente, os meios de comunicação tradicionais eram os únicos árbitros do que era selecionado como interessante e de como as emissoras e os jornalistas interpretavam as informações. Como alternativa, os jornais contrataram especialistas na área. Embora as editoras e as estações de notícias possam ter tido seus preconceitos, a maioria das organizações manteve os velhos e rígidos princípios do jornalismo.

Hoje, plataformas de mídia social como Twitter e Facebook podem indicar que, muitas vezes, não existe um intermediário que possa correlacionar eventos de forma objetiva e interpretativa. Os usuários podem ser alimentados com histórias rebuscadas que parecem "notícias reais", quando, na verdade, são tudo menos isso. Em particular, o Facebook tem sido o site de notícias falsas que causaram à plataforma mais do que algumas dores de cabeça. Embora a empresa seja uma parte importante da mídia de massa, não é um site de notícias.

A função de correlação não está nas mãos dos executivos do Facebook, e o Facebook não afirma que esteja. Em janeiro de 2018, o CEO do Facebook Mark Zuckerberg determinou que os próprios usuários poderiam decidir a diferença entre notícias reais e falsas quando escreveu: “Podemos tentar tomar essa decisão nós mesmos, mas isso não é algo com que estamos confortáveis.”

Transmissão cultural e influenciando as normas sociais

Embora as duas primeiras funções sejam fornecer e interpretar notícias e informações, a terceira permite que a mídia reflita e influencie as normas sociais. Os meios de comunicação servem como transmissores de mensagens culturais, permitindo que as massas compreendam o que são consideradas formas aceitáveis ​​de comportamento. A transmissão cultural, no entanto, evolui. O que antes era tabu pode se tornar a norma quando um número suficiente de pessoas o adotar e quando a mídia noticiar sobre isso.

A notícia pode ser o que está acontecendo na TV ou nas redes sociais, mas também pode ser o que está acontecendo nas estações de televisão e nos canais do YouTube. Na década de 1950, Lucy e Dezi dormiam em camas de solteiro separadas em "I Love Lucy", mas o programa apresentava Lucy grávida. A família Brady dividia a cama em "The Brady Bunch" muito antes de qualquer outro seriado ou drama de televisão, e agora "The Fosters" apresenta filhos adotivos criados por um casal de lésbicas. Todos os três programas refletiam a cultura da época, ao mesmo tempo em que definiam e toleravam novas normas.

Educação e Entretenimento

A mídia também atua como um transmissor cultural que educa e diverte. Muito antes do advento da mídia de massa, as pessoas eram forçadas a se divertir. Eles podem ter participado de atividades ou eventos ao vivo. O advento da comunicação de massa permitiu que telespectadores e ouvintes vissem, ouvissem e aprendessem em tempo real de onde quer que estivessem.

As plataformas de mídia social levam esse fator de entretenimento ainda mais longe. Você não precisa mais depender de emissoras ou produtores de rádio para fornecer seu entretenimento. Qualquer criança com um smartphone pode carregar um vídeo bobo no YouTube e fazer você rir por horas.

Teorias cujas raízes estão no alvorecer da comunicação de massa ainda são relevantes hoje, embora essas formas de comunicação continuem a evoluir.